A iluminação é um elemento importantíssimo na foto. É ela que dá vida ao registro fotográfico, que valoriza a pessoa, o produto, a marca ou mesmo uma lembrança. E para criar uma iluminação adequada, é necessário seguir alguns pontos valiosos. Veja quais são estes pontos.

Iluminação do dia

O primeiro passo é, ao optar por fotos ao ar livre, escolher bem os horários do dia. São os momentos do dia em que a luz do sol dá aquela ajudinha especial na imagem.

Um ensaio fotográfico que seja do tipo de retrato, por exemplo, pode contar com uma iluminação privilegiada, numa inclinação entre 15 e 30 graus. Uma foto de paisagem, por sua vez, tem uma iluminação perfeita quando a luz solar está em inclinação de 15 graus.

E a quais horários estas inclinações correspondem? Entre 5h e 7h da manhã, ou no final da tarde, entre 17h e 19h.

O mesmo não ocorre com a fotografia de produto, que necessita de uma iluminação direta. Nestes casos, a foto é melhor preparada em estúdio, com o auxílio de luminárias, refletores e outros acessórios.

Muitas vezes, o que se deseja é apenas o rosto do(a) modelo. Nestes casos, é comum a foto ser feita em estúdio, com o auxílio de um refletor LED ou mesmo um Flash potente.

Há, contudo, trabalhos que exigem uma foto perfeita em pleno horário cujo sol está a pino. Nestes momentos, a luz dura gera sombras com contornos bem nítidos, tanto nas pessoas, como nos objetos. Nestas circunstâncias, é necessário utilizar um difusor, que será o equipamento responsável por distribuir a luz e amenizar as sombras da imagem, a fim de que não poluam a foto.

Esta é uma das dicas importantes, visto que a iluminação natural ou do estúdio é 50% de uma foto bem tirada. Existem ainda outros pontos que também não podem ser ignorados. Vamos lá:

Configuração ISO ou Sensibilidade

Em uma câmera profissional ou semiprofissional, nas configurações do ISO está o modo “easy”, “fácil” em inglês, e que ajusta de forma automática a sensibilidade ISO do sensor, a fim de que ele consiga obter a maior riqueza de detalhes possível, conforme a luz do local.

É importante praticar a fundo as possibilidade da máquina e utilizar a ISO que permitir mais facilmente a captura das imagens sem a perda de qualidade. Quanto maior a sensibilidade, maior será o risco de existir ruído na imagem em questão, e maior também será a velocidade do obturador, a fim de evitar imagens tremidas.

Então, com uma ISO mais baixa, como 100, sua imagem tende a ficar mais tremida e com uma ISO bastante alta, como 6400, a sua foto possui a tendência de apresentar ruídos. Um equilíbrio é o ideal.

Configuração do Diafragma

A abertura do diafragma diz respeito à quantidade de luz que a máquina irá captar através do sensor. Ou seja, quanto mais aberto estiver o diafragma, mais clara a foto ficará.

Em uma situação contrária, ou seja, onde a claridade do local seja muito forte, é indicado que você opte por um diafragma um pouco mais fechado.

Cuidado também com o tempo de exposição à luz solar. Quando o sol estiver muito forte, ou o ambiente muito bem iluminado, opte por tempos de exposição menores, a fim de não deixar a sua imagem superexposta.

» Dicas de composição na fotografia
» Fotometria: Dicas de fotografia para iniciantes

Acessórios para Iluminação de fotografias

Algumas fotos necessitam da ajuda de equipamentos adequados, bem como acessórios, que auxiliarão o fotógrafo a conseguir os resultados desejados. Vejamos alguns deles:

Softbox

Este acessório também serve para melhorar a iluminação da foto. Muito comum em estúdios, pode ser encontrado em diferentes formas e tamanhos.

É ideal para fotografia de pessoas (rostos) e produtos, porque quando a luz do flash passa por ambos os tecidos, ela fica mais suave.

Rebatedores

Como o próprio nome sugere, eles rebatem a luz principal, a fim de amenizar as sombras do local. São rebatedores conhecidos os espelhos e os isopores, que proporcionam ótimos resultados. 

Ring light

Este é um acessório que possui três tipos de luz: branca, amarela e o mix de ambas. O Ring light é uma luz led em círculo, apoiado em um tripé que melhora a iluminação do objeto ou da pessoa.

Apresenta também três níveis de intensidade de cada luz, totalizando nove modos de iluminação.

Flash

O flash é um acessório importante porque aumenta a qualidade das fotos. No entanto, a luz do flash é limitada e por ser direta, precisa estar próxima da pessoa ou objeto. Se a intenção for aumentar a luminosidade, quanto maior for a distância do flash, menor será a claridade. E, quanto menor a potência do flash, mais perto ele deve ficar.

Difusores

O difusor distribui a luz do flash. É uma forma de jogar a luminosidade no ambiente, como se esta partisse de todos os lados, em vez de de um único ponto. É possível ainda utilizar um filtro na frente da lente, que permita uma luz ainda mais homogênea e sem qualquer sombra.

» Como montar um estúdio fotográfico em casa?
» Fotografia ao ar livre: 7 dicas para iniciantes

Técnicas de Iluminação

Butterfly Lighting: Quando se ilumina uma pessoa ou objeto de cima, em um lugar alto, num ângulo de 30 a 45 graus, é possível observar, especialmente nos rostos, abaixo do nariz, uma pequena sombra, cujo formato lembra uma borboleta.

Iluminação Lateral: Esta favorece somente o lado onde a fonte de luz se encontra. Neste tipo de foto, o que conta é posição do(a) modelo ou objeto.

Este tipo de iluminação é bastante usada em registros de nu artístico e em fotos de natureza-morta.

Iluminação de Cima: A iluminação de cima é uma técnica que valoriza o produto ou o(a) modelo, realçando os seus contornos, detalhes e ao mesmo tempo, dando uma projeção imponente com a sombra, o que reflete grandeza.

Estas são algumas dicas e técnicas de iluminação fotográfica, que podem auxiliar desde o fotográfico mais experiente ao que ainda inicia seus estudos e experimentos. Uma forma de auxiliar ainda mais para que os trabalhos saiam com a qualidade adequada que se busca.

Pratique a faça os melhores trabalhos possíveis!