Se você é fotógrafo, trabalha com mídia ou é curioso, já viu por aí esses dois formatos de imagem: RAW e JPEG. É através deles, que você pode (ou não) abrir uma imagem no seu computador, celular ou tablet.

Muitos fotógrafos discutem a respeito de qual é o melhor formato para compartilhamento de seus trabalhos, qual é melhor para resolução e para download.

Mas, se você deseja descobrir por aqui, qual deles é o melhor para o seu trabalho, continue com a leitura do texto e descubra qual é melhor: RAW ou JPEG?

RAW

Se você escolher traduzir a palavra RAW, do Inglês, ela significa “cru”.
Ou seja, um arquivo que se apresenta em formato RAW, se apresenta como uma captura de cena que está crua.

Então, dessa forma, não há nenhum tipo de processamento dessa imagem na câmera. Não existe, em formato RAW, compressão ou aplicação de algum tipo de preset na imagem. Só existe a captação da imagem através da câmera e de um sensor, de maneira completamente e crua.

Em outras palavras, essa é a verdadeira foto, sem nenhuma alteração ou modificação. Talvez, na câmera, você até perceba alguma cor contrastante ou uma foto em preto e branco, tirada em RAW, mas quando essa imagem for passada para o computador, a cor voltará ao tom original.

É, exatamente por isso, inclusive, que os fotógrafos contestam o fato de algumas fotos em RAW do Lightroom aparecerem um pouco diferentes do que elas aparecem no visor.

Vantagens

Como você já sabe, os arquivos em RAW, ou arquivos crus, não são modificados, então apresentam uma qualidade superior.

Nessas imagens estão toda a qualidade e potencialidade da câmera, que serão muito úteis para os momentos de pós produção, em que existe a necessidade de tratamento, utilização de presets e etc. Ali, você também pode trabalhar com coloração avançada sem que haja nenhum tipo de distorção no resultado final da viagem.

E, a última, mas definitivamente não menos importante vantagem, é a segurança que arquivos em RAW oferecem. Se você tirar uma foto de uma momento mágico, único e impossível de se repetir, mas que seja em JPEG, se a luz ficar estourada, a foto não poderá ser modificada, pois já foi tirada com essa alteração de luz. No caso dos arquivos em RAW não. Se você tirar uma foto, e precisar transformar em JPEG, tudo bem, a original estará sempre salva.

Desvantagens

Uma das maiores desvantagens e diferenças entre RAW e JPEG, é o tamanho de um arquivo, que pode ser de 3 a 4 vezes maior que em JPEG. Ou seja, se você deseja trabalhar com imagens em RAW, você vai precisar de inúmeros e infindáveis cartões de memória, senão no meio de um serviço, você pode ficar sem espaço para continuar.

E, para ler todos esses arquivos no computador, e até exportar as imagens, é necessário um notebook ou computador mais apto, pois elas são verdadeiramente mais pesadas.

Caso você trabalhe com imagens que exijam agilidade, como jornalismo e esporte, essa não é a melhor opção, pois o RAW processa de maneira mais lenta, naturalmente.

Além disso tudo, ela perde a velocidade. Por exemplo, se uma câmera faz uma sequência de 10 fotos em 5 segundos, em algum momento ela já não conseguirá continuar no mesmo ritmo.

E, a última desvantagem, é que RAW não é um arquivo considerado universal. Sendo assim, se você tentar abrir uma imagem no tablet, ela não abrirá.

JPEG

Essas fotos em JPEG (Joint Pictures Expert Group), diferente das fotos em RAW, passam por um tipo de processamento interno na câmera fotográfica. A captação da foto do objeto e do sensor, ocorre exatamente da mesma forma que em formato RAW, mas com predefinições aplicadas pela câmera na imagem.

Por exemplo, se você escolheu a opção “clara” ou “praia” e está no quarto escuro, ela irá ser clara, mas pela falta de luz do ambiente, ficará com a imagem sem qualidade. Nesse caso também, se você predefinir as fotos como preto e branco, elas ficarão em preto e branco e não voltarão a ser coloridas como antes.

Em resumo, para diferenciar RAW e JPEG: em RAW, as imagens só modificam na tela da câmera, para que você veja como irá ficar, mas o arquivo não muda. Em JPEG, as imagens são estão sendo modificadas para continuarem modificadas, sem retornarem ao seu estado anterior.

Vantagens

Uma das maiores diferenças entre RAW e JPEG, está no tamanho. Arquivos JPEG ocupam de 3 a 4 vezes menos espaço, então pesam muito menos.
Em câmeras medianas, nenhuma função será afetada, pois a agilidade delas não sofre alterações.

Além disso, o arquivo final já vem praticamente editado, com saturação, nitidez e contraste. Se a foto estiver muito boa, você pode até mesmo enviar para o cliente, direto da câmera, sem passar por nenhum tratamento.

E, a última vantagem, é o fato do artigo JPEG ser universal, e abrir em qualquer dispositivo. Você pode abrir uma imagem no seu celular, tablet, iphone, Ipad, notebook, e etc. Sem contar, que você não precisa investir em um computador muito melhor, pois qualquer computador suporta imagens JPEG, ainda que algumas pesem mais, elas não pesam tanto quanto um arquivo RAW.

Desvantagens

Impressões em formato JPEG não costumam ser tão boas se comparadas com o formato RAW, mas também não deixam muito a desejar se a imagem tiver uma boa resolução. Além disso, esse tipo de arquivo não permite coloração e nem alguns processos avançados, que podem ser feitos em arquivos RAW sem grandes problemas.

Conclusão

Considerando as diferenças entre RAW e JPEG, agora que você já sabe as vantagens de cada um dos dois, pode escolher o arquivo que melhor combina com a sua realidade e necessidade.

Ambos os formatos apresentam seus benefícios e suas desvantagens, mas dentro da sua realidade e do seu trabalho, você sabe o que é melhor, o que irá suprir melhor a sua necessidade e possibilidade atuais.
Ou seja, seja em formato RAW ou em formato JPEG, a melhor escolha é aquela que é viável para você, e confortável e útil para o seu cliente!

Veja também

» Dicas para usar a lente 18-55 mm
» Olhar fotográfico: Dicas para treinar e evoluir
» Os erros mais comuns dos fotógrafos iniciantes